O Flare da Lakai é um vídeo bem mais ou menos

Sim, assim, PÁ, na sua cara, você já sabe o que a gente
achou do vídeo. Mas agora vamos falar  porquê achamos o Lakai Flare meio sem sal. Pra não ficar uma coisa
maçante como muita gente achou do vídeo, a gente vai simplesmente separar os
pontos positivos e negativos e você depois dá sua opinião nos comentários.
Assim fica mais democrático, né?

Pontos negativos:

Que intro enjoativa! A sensação de tontura que dá aquela
câmera rolando é algo que talvez os manos não imaginaram quando a ideia pintou
no brainstorm. Se você assiste bêbada(o) ou chapada(o), a possibilidade de você
passar malzão é enorme! Interessante por um lado, porque não é algo que se vê
todo dia, mas por outro lado, é um tiro no escuro que não agradou a todos.

image

Vi o bagulho bem loco e passei mal

Vídeo enorme e cansativo. Mais de uma hora de vídeo de
skate. UMA FUCKING HORA. Em dias de instagram e vídeos mais rápidos na internet
no dia a dia, ter um vídeo de uma hora torna maçante a experiência, mesmo sendo
um vídeo aguardado por ser de uma crew que sabe fazer vídeos legais. Porém com
a soma desses fatores negativos, a hora do filme demora a passar e você acaba
pulando partes e vendo somente aquelas dos seus skatistas favoritos do time.

Falta de nomes nas partes. Poxa crush, por que não me nota?
PORQUE A LAKAI NÃO BOTOU TEU NOME NA TUA PARTE FILHÃO. Gente, ok, se você
acompanha a marca, talvez até saiba quem é quem. Mas é um time MUITO novo,
tanto de idade dos moleques quanto de “quem é esse cara?”. Eu mesmo
que sou nerd fiquei sem saber quem eram uns ali e, porra, eu gostaria de saber
quem tal manobra em tal hora. Mais uma aposta do Flare que deixou a desejar.

image

Sério, quem é esse mano?

Falta de mais manobras e partes completas dos legends. Sim,
você também esperou uma parte full do Rick Howard e outra do Mike Carrol e sim,
você também se decepcionou ao ver duas manobrinhas de cada no meio da parte dos
moleques que você não sabia o nome.

 

Pontos positivos:

Legal ter visto o Mike Mo logo na intro usando
Lakai! Ficou aquele gostinho de quero mais maaaaaaaaaaaas não teve nada. Sorry.
Mas foi uma boa aparição de quem deu um passeio em outras marcas e voltou pro
colo dos amigos.

Filmagem muito boa e isso tem que dar créditos para os caras
porque um vídeo em HD já é mais difícil de ser digerido pelo público core e os makers
e editores fizeram a parada ficar legal de ver. Claro que tiveram alguns cortes
de cabeça aqui e ali mas em um vídeo uma hora, sua maioria é bacana! Frederico
Vitteta e seus pupilos mandaram bem!

Parte final ser parte de vert com o Tony Hawk andando com os
caras da Lakai. Mano que final dahora. O Hawk anda muito!

No geral, partes muito bem trampadas. Apesar de você não saber quem é
mais da metade do time da Lakai novo, os moleques se empenharam pra fazerem
partes boas. Teve muita manobra foda no vídeo. Destaque para o Tyler Pacheco e
para a parte do Riley Hawk, que é um forte concorrente a SOTY  esse ano com o que fez no vídeo.

image

É O FILHO DO HOMI!

Vídeo divertidíssimo e isso não tem como negar. Intro
esquisita mas com imagens bem divertidas, hijinx de cenas do cotidiano nas
partes, pessoas engraçadas, skatistas interagindo com o mundo ao redor e isso
quebrou um pouco da seriedade do vídeo, que tem MUITA manobra. O crédito então
é, talvez, a parada mais legal do vídeo. Tem um monte de imagem maneira! E lá
pro final, quando você acha que acabou tem uma cena da Jennifer Anniston no
Como Enlouquecer seu Chefe falando do Flair, que fecha o vídeo no tom de
comédia dos créditos. Muito bom!

A trilha sonora é o ponto alto do vídeo! De Riley Hawk com
Metallica a Sebo Walker com De La Soul, passando por Iron Maiden, Donovan,
Fatboy Slim, cover italiano de David Bowie na intro (maravilhoso por sinal),
Pharcyde e muito mais. Eu queria estar na première em Los Angeles só para ver a
reação da galera a cada música que entrava. Trilha realmente muito bem
escolhida e que deu emoção a um vídeo longo.

image

No fim de uma hora de vídeo, várias pescadas de sono e
algumas cervejas, o Flare deixa um gosto amargo na boca. Não é um vídeo que dá
vontade de ver inteiro de novo e provavelmente você vai voltar a dar play nele
só pra ver a parte do mano X ou do mano Y. Ah, por falar nisso, faltou mina
manobrando no time e no vídeo e existe mina com skate no pé pra isso!

O que dá vontade de retomar é a trilha sonora, que vai te
fazer querer baixar os sons e escutar pra ir andar de skate. De resto, é um
vídeo que você pode passar tranquilamente sem ver. Não vai mudar sua vida.

Nota 6 de “seis” podiam fazer um vídeo menor e
mais legal. De “seis” fizeram o Fully Flared e esse é bem mais fraco.
De “seis” podia chamar o Anthony Pappalardo pra fazer uma parte de
novo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: